O interior de um piano antigo é reciclado e transformado numa escultura sonora cinética.

Vídeos de aves são projetados diretamente no piano, proporcionando

uma pontuação musical em constante mudança. O movimento dos pássaros aciona

pequenas máquinas que agitam e fazem soar as cordas do piano.

Neste trabalho, a natureza controla máquinas que criam música delicada.

O trabalho de Kathy Hinde cresce a partir de uma parceria entre a natureza

e a tecnologia expressa através de instalações audiovisuais e performances

que combinam som, escultura, imagem e luz. Inspirando-se em comportamentos e fenómenos

encontrados no mundo natural, ela cria trabalho que é generativo, que evolui,

que pode ser diferente de cada vez que é experienciado.

Kathy pretende criar um trabalho que dê origem a uma experiência poética e reflexiva

e que enriqueça uma apreciação do quotidiano, convidando a uma maior consciência

sobre o mundo ao nosso redor. Kathy trabalha frequentemente em colaboração com outros artistas

e cientistas e muitas vezes envolve o público no processo criativo. Criou instalações de luz e som

em espaços públicos, incluindo ruas urbanas, bosques e florestas e tem trabalhado extensivamente

por toda a Europa, China, Sri Lanka, Paquistão, EUA, Canadá, Colômbia, México, Brasil,

Austrália e Nova Zelândia. Os seus prémios incluem uma Menção Honrosa no Prix ​​Ars Electronica;

o British Composer Award em Sonic Art; um prémio ORAM; o PIARS Sonic Arts; foi duas vezes nomeada

para o Aesthetica Art Prize e recebeu ainda o prémio escocês para Nova Música em Colaboração

com Maja Ratkje. Foi artista Cryptic em 2015, e artista SHAPE Platform para música inovadora e audiovisual

em 2018. É membro do coletivo Bristol Experimental Expanded Film.

//

The inside of an old piano is recycled into a kinetic sound sculpture.

Videos of birds are projected directly onto the piano providing an ever changing musical score.

The movement of the birds trigger small machines to twitch and flutter on the piano strings.

In this work, nature controls machines to create delicate music.

Kathy Hinde’s work grows from a partnership between nature and technology expressed

through audio-visual installations and performances that combine sound, sculpture, image and light.

Drawing on inspiration from behaviours and phenomena found in the natural world,

she creates work that is generative; that evolves; that can be different each time it is experienced.

Kathy aims to create work that gives rise to a poetic and reflective experience that enriches an

appreciation of the everyday, inviting a heightened awareness of the world around us.

Kathy frequently works in collaboration with other practitioners and scientists and often

actively involves the audience in the creative process. She has created light and sound installations

in public spaces, including urban streets, woodlands and forests.

She has shown work extensively across Europe, China, Sri Lanka, Pakistan, USA, Canada, Colombia,

Mexico, Brazil, Australia and New Zealand. Awards include an Honorary Mention at Prix Ars Electronica;

a British Composer Award in Sonic Art; an ORAM award; runner up for the PIARS Sonic Arts Award;

twice long listed for the Aesthetica Art Prize; and a Scottish Award for New Music for Collaboration

with Maja Ratkje. She became a Cryptic Artist in 2015, was a selected artist for European SHAPE Platform

for innovative music and audiovisual art in 2018 and is a member of Bristol Experimental Expanded Film collective.