Marco Barotti

Clams | Woodpeckers

Clams

Estufa Fria de Lisboa

24 - 27 Set. 10h - 18h30

Na natureza, as ameijoas (clams) são detetores de poluentes, servem como pequenos sistemas de filtragem. Inspirado por esse fenómeno natural, Marco Barotti apresenta agora Clams, uma coleção premiada de esculturas de som cinéticas que convertem dados recolhidos por sensores de qualidade da água em sons e movimento. Cada ‘molusco’ é construído com plástico reciclado e contém um altifalante. A paisagem sonora microtonal em constante evolução oferece a cada concha uma ação de abertura e fecho realista e subtil. As leituras feitas em tempo real a partir de um sensor de pureza da água colocado no rio Tejo, em Lisboa, formará a base da música que é gerada através de um processo em constante mudança, com base nos níveis de qualidade da água ao longo do tempo.
Clams convida o público a estabelecer ligações entre arte media, sonificação de dados e
sustentabilidade ambiental.

Clams is an award-winning collection of kinetic sound sculptures which convert data from water quality sensors into sounds and movement. Each ‘clam’ is constructed from recycled waste plastic and contains a speaker. The continuously evolving microtonal soundscape gives each shell a subtle, life-like opening and closing action. Real-time readings from an industry-standard water purity sensor placed in the river Tagus in Lisbon will form the basis for the music, which is generated through a constantly shifting process based on water quality levels over time. Clams invite the audience to draw connections between media art, data sonification and environmental sustainability.

 

Woodpeckers

Itinerante

24 - 27 Set. 10h - 18h30

Vários pica-paus mecânicos transformam em tempo real as radiações invisíveis usadas para comunicação móvel e tecnologia sem fio em padrões de percussão acústica audíveis e visíveis. O resultado sonoro é uma composição acústica generativa que sofre constantes transformações. Uma paisagem sonora ao vivo que ressoa como um conjunto de tambores invasores em ambientes urbanos e naturais.

THE WOODPECKERS transform in real time the invisible radiations used for mobile communication and wireless technology into audible and visible acoustic drumming patterns. The sonic result is a generative acoustic composition which undergoes constant transformation. A live soundscape which resonates as invading drum ensemble into urban and natural environments.

A presença de Marco Barotti no Lisboa Soa tem o apoio do Instituto Italiano de Cultura.
Marco Barotti’s presence at Lisboa Soa has the support of the Italian Cultural Institute.

Marco Barotti
https://www.marcobarotti.com

Marco Barotti é um artista de media com sede em Berlim. Depois de estudar música na Academia de Jazz de Siena, ele começou a misturar som com arte visual. O seu trabalho é impulsionado pelo desejo de inventar uma linguagem artística na qual uma era pós-futurista ficcional seja expressa por meio de intervenções sonoras cinéticas em ambientes naturais e urbanos. As suas instalações fundem tecnologia de áudio, objetos de consumo e resíduos em esculturas em movimento, desencadeadas inteiramente pelo som. O foco principal do seu trabalho é criar um “ecossistema tecnológico” que brinque com semelhanças com animais. Essas obras de arte servem como uma metáfora do impacto antropogénico no planeta e visam consciencializar as pessoas sobre questões ambientais.
O seu trabalho foi exibido internacionalmente na: Ars Electronica (Linz) Saatchi Gallery (Londres), Futurium (Berlim), Polytech Festival (Moscou), Fact (Liverpool), Wro Art Center (Wroclaw) NGBK Gallery (Berlim), Würth Museum ( Rioja) Emaf (Osnabrück), Lisboa Soa (Lisboa), Nuit Blanche (Bruxelas), Pelotão (Cidade do México), Urban Lights Ruhr (Hamm) e List í Ljósi Light Festival (Islândia)

Marco Barotti is a media artist based in Berlin. After music studies at the Siena Jazz Academy, he began merging sound with visual art. His work is driven by a desire to invent an artistic language in which a fictional post-futurist era is expressed through kinetic sound interventions in natural and urban environments. His installations merge audio technology, consumer objects and waste into moving sculptures triggered entirely by sound. The primary focus of his work is to create a “tech ecosystem” that plays with resemblances to animals. These artworks serve as a metaphor for the anthropogenic impact on the planet and aim to make people aware of environmental issues. 
His work has been exhibited internationally in: Ars Electronica (Linz) Saatchi Gallery (London), Futurium (Berlin), Polytech Festival (Moscow), Fact (Liverpool), Wro Art Center (Wroclaw) NGBK Gallery (Berlin), Würth Museum (La Rioja) Emaf (Osnabrück), Lisboa Soa (Lisbon), Nuit Blanche (Brussels), Platoon (Mexico City), Urban Lights Ruhr (Hamm), and List í Ljósi Light Festival (Iceland)