Nuno Veiga e Yola Pinto

Uníssono

Terraço EPAL, Largo da Anunciada, nº 5

24 Set. 18h30

“Uníssono“. Diz-se do que possui um som que se encontra numa frequência semelhante à de outro som. Em que não se constata a existência de discrepância; uniforme ou unânime;
Realização concomitante ou conjunta da mesma nota musical ou de um trecho melódico inteiro por duas ou mais pessoas.
Em uníssono = com uma frequência sonora idêntica; ou (Figurado) em simultâneo, acompanhado de anuência geral.
Uníssono é uma peça de improvisação que propõe o movimento como veículo de criação e composição sonora em paralelo com o espaço acústico envolvente. Uma criação de Nuno Veiga (som), lançando o convite a vários bailarinos e coreógrafos. Aqui com Yola Pinto (movimento) numa vertente experimental, em uníssono com o espaço nas suas diversas frequências numa amplificação conjunta de escuta dos lugares onde acontece.

It is said that it has a sound that is at a frequency similar to that of another sound; Where there is no discrepancy; uniform or unanimous;
Concomitant or joint performance of the same musical note or of an entire melodic passage by two or more people.
In unison = with an identical sound frequency; or (Figured) simultaneously, accompanied by general consent.
Uníssono is an improvisation piece that proposes movement as a vehicle for creating and composing sound in parallel with the surrounding acoustic space. A creation by Nuno Veiga (sound), launching the invitation to several dancers and choreographers. Here with Yola Pinto (movement) in an experimental way, in unison with the space in its different frequencies in a joint amplification of listening to the places where it happens.

Nuno Veiga

https://en.nunoveiga.org

Artista multidisciplinar. Licenciado em Estudos Teatrais (via ensino) pela Universidade de Évora.
Em 2010 ruma a Londres, onde vê exponenciar o caráter multidisciplinar do seu trabalho colaborando com diversas companhias e instituições. Lecionou em múltiplos estabelecimentos de ensino em Portugal e Inglaterra e dirigiu projetos artísticos com grupos de faixas etárias, habilidade e background diferenciados, nomeadamente com adultos com dificuldades de aprendizagem.
Na última década tem desenvolvido trabalho como criador e artista sonoro na área do teatro, dança, vídeo e instalações com vários encenadores e coreógrafos. Como improvisador sonoro, tocou em dezenas de concertos e envolveu-se em vários projectos, tais como Skronk, NoiD, Cojones Spirituales, a r I r a, That_Ensemble e Fuck Popox2, tendo trabalhos discográficos editados em Portugal, Reino Unido, Itália e Alemanha.
Criou o alter ego sonico- performativo Fontelo em colaboração com Rick Jensen, tendo feito várias apresentações ao vivo no Reino Unido, Portugal e Itália.
Desenvolve também trabalho como videasta, tendo os seus trabalhos sido apresentados em diversos festivais internacionais.
É Artista Associado do Teatro Viriato.

Born in Viseu, Portugal, 1979. 
Multidisciplinary artist based in Portugal whose practice includes sound art, acting, theater direction, video art, installations, teaching and arts facilitation.
Graduated in Theater Studies from the University of Évora in Portugal in 2006, and have been working in professional arts contexts since 2001.
Teatro Viriato Associated Artist.
In Portugal worked as an actor, sound designer and teacher with various institutions including the National Theaters, Karnart, Balleteatro Professional School,Antena 2 (National Radio Broadcast) and several educational institutions.  
In 2011, moved to London where and continued to work as an actor, audio visual designer and arts facilitator, collaborating with various companies and institutions, including: Resonance Radio, London College of Fashion, Young Vic, Royal Academy of Dramatic Art, Soho Theater, Knot Theory, Hide Tide, Spare Tire, Absolute Theater, Battersea Arts Center, Rare Salt and The Playground Rambert. Also collaborated with the Edinburgh International Festival as a sound designer and sound consultant.
 As an arts facilitator worked with a variety of community groups including at-risk youth, elderly, learning difficulties, and more. As an Associate Artist at Spare Tire developed several projects with voiceless communities.
Sound improviser, developing his own solo projects and collaborating on other improvisation-based projects such as NoiD, Cojones Spirituales, SKRONK, Ar|ra and Fuck Popopx 2.
Nuno Veiga´s work has been released in Portugal, Italy, Germany and UK.

Yola Pinto

https://c-e-m.org/equipa/yola-pinto/

Licenciou‐se em Arquitectura ao mesmo tempo que completava o seu plano de formação em Estudos do Corpo e do Movimento no CEM, em Lisboa. Em 2001 parte para Amesterdão/ School for New Dance Development, onde tem a oportunidade de trabalhar com a Magpie Company, investigadora de discursos improvisados em várias áreas.
Desde então tem direcionado o seu trabalho de criação coreográfica na pesquisa de cruzamentos multidisciplinares, em trabalhos de palco e de natureza “site-specific”.
Participou como intérprete para vários criadores em dança, teatro e cinema, mas é no desenvolvimento do seu trabalho pessoal que se reflete uma profunda contaminação pela sua formação paralela, patente na conceção de várias instalações sempre associadas ao movimento.
Desenvolve com regularidade atividades pedagógicas e de formação (público jovem, professores, estudantes universitários, mediadores culturais), no âmbito das ligações entre dança, espaço e desenho, em contexto museológico, bibliotecas, teatros e outras galáxias, dentro e fora do país.

She graduated in Architecture at the same time that she completed her training plan in Studies of the Body and Movement at CEM, in Lisbon. In 2001 she left for Amsterdam / School for New Dance Development, where she had the opportunity to work with the Magpie Company, a researcher of improvised speeches in various areas.
Since then, she has been directing her work of choreographic creation in the research of multidisciplinary intersections, in stage and site-specific works.
She participated as an interpreter for several creators in dance, theater and cinema, but it is in the development of her personal work that a profound contamination is reflected by her parallel training, evident in the design of various installations always associated with the movement.
She regularly develops educational and training activities (young audiences, teachers, university students, cultural mediators), within the scope of the connections between dance, space and drawing, in the context of museums, libraries, theaters and other galaxies, inside and outside the country.