Sara Anjo

llhas – uma constelação (seleção open call)

Mãe d´Água das Amoreiras

24 – 27 Set. 10h00 –  12h30 |  13h30 – 17h30

“llhas – uma constelação” é uma série de áudio-coreografias, um conceito inventado por resultar de um trabalho sonoro pensado a partir do corpo e do movimento e refletem acerca de três gestos primordiais da humanidade: respirar, caminhar e parar. Esta tríade pertence aos movimentos matriciais do ser humano, respirar o gesto que dá a vida e na sua ausência retira-a, caminhar o gesto que nos faz avançar, procurar e, parar o gesto fundamental que intercala todo e qualquer movimento. São também gestos que, ao serem explorados além da sua função de mecanismos involuntários, criam um espaço de profunda reflexão e consciência do corpo, de nós e do mundo.
Para além dos três gestos matriciais, este trabalho aborda o imaginário da viagem e da geografia insular, partindo da ideia que ilha é um corpo rodeado de mar e vive embalado pela alternância das marés. O seu mar espelha o céu, e a ilha é uma espécie de estrela. Não é um acaso que as ilhas, quando são desenhadas em mapas ou quando são captadas por imagens de satélites, se parecem com constelações e convidam ao imaginário do fantástico. Desde há muito que o território insular é palco de fascinantes viagens e fundamental para pensar as mais exuberantes utopias e as mais obscuras distopias.

“Islands – a constellation” is a series of audio-choreographies, a concept invented as a result of a sound work designed from the body and movement and reflect on three fundamental gestures of humanity: breathing, walking and stopping. This triad belongs to the matrix movements of the human being, to breathe the gesture that gives life and in its absence it withdraws it, to walk the gesture that makes us move forward, to seek and to stop the fundamental gesture that intersperses each and every movement. They are also gestures that, when explored beyond their function as involuntary mechanisms, create a space for deep reflection and awareness of the body, us and the world.
In addition to the three matrix gestures, this work addresses the imagery of travel and island geography, starting from the idea that an island is a body surrounded by the sea and lives packed by the alternation of the tides. Its sea mirrors the sky, and the island is a kind of star. It is no accident that the islands, when drawn on maps or when captured by satellite images, look like constellations and invite the imagination of the fantastic. Insular territory has long been the scene of fascinating travels and is fundamental for thinking about the most exuberant utopias and the most obscure dystopias.


Sara Anjo

http://www.saraanjo.com

Sara Anjo (1982) nasceu na ilha da Madeira. Dançar, improvisar, coreografar é onde sente realizada essa procura e interessa-se por práticas meditativas e extáticas, sendo a caminhada uma das principais. Enquanto prática coreográfica interessa-se por composições abertas e emergentes onde são exploradas estéticas de relação com o público. Tem ainda desenvolvido uma prática de documentação onde trabalha noções de partitura e notação através de mapas e áudio coreografias.
​Formou-se em Dança pela Academia de Dança Contemporânea (2001). Estagiou na Companhia Nacional de Bailado e formou-se como instrutora de Yoga. Enquanto trabalhou como intérprete com coreógrafos portugueses, manteve-se a estudar artes e concluiu uma licenciatura de Estudos Artísticos na Faculdade de Letras de Lisboa (2008), e uma pós-graduação em Arte Contemporânea pela Universidade Católica de Lisboa (2011). Conheceu e estudou com Anna Halprin, em 2010, uma das suas maiores inspirações no campo da dança.


Sara Anjo (PT 1982) is a dancer and choreographer interested in meditative practices that generate psico-physical changes, breathing and walking are the main ones. She permanently questions herself about: what moves us? How do we move? And to where are we moving?
She has graduated in the Contemporary Dance Academy (2001). She also studied Artistic Studies (BA) at the Faculty of Arts of Lisbon (2008) and Contemporary Art (post-graduation) at Lisbon’s Catholic University (2011). She holds a master in choreography from Das Graduate School in Amsterdam (2016). She also studied Yoga at the Yoga Shamkya School (2003) in Lisbon.
​As a creator she is interested in choreographic proposals that activate a sonic theatre, where choreography and the performative space are explored through soundscape. She devised “Nobody would know to tell that story” a performance around the female world where she collaborated with 6 female artists (BoxNova CCB 2011); “Liquid Landscapes” a travelling dance in an old washing house in Lisbon (Teatro do Silêncio 2012); “Shaped as a Tree”, a solo about (dis)quietness (Negócio ZDB 2016); “Sacrum”, a magnetic walking (Negócio ZDB 2018). Since 2012 Sara makes part of the project “Walking” from Teatro do Silêncio. At the moment she collaborates with Teresa Silva in the project “Oracle”; with Michelle Moura in the project “Here we are in this little step” and with Flora Detraz in a research work with body and voice.
​She has developed performances for young audience, where she explores the relation between figurative and abstract imagination together with her research to create a sonic theatre. She developed “In Search of Ballerina Feet” together with Teatro do Silêncio (2013), “Everything in the World began with a yes” (CCB-Fábrica das Artes 2016) with Filipe Raposo and “Starts Wash your Feet” (CCB-Fábrica das Artes 2018). She published the book “Dancing Dot”, with which she develops workshops and staged readings.